Blog

Colírios: quais tipos existem e para que serve cada um

Os colírios são muito mais do que simples gotinhas para pingar nos olhos. Eles servem para tratar problemas que vão desde o desconforto ocular, causado por ressecamento ou alergia à poeira, até infecções ou inflamações mais graves, como conjuntivites. 

Por isso, o tipo de colírio e a quantidade de gotas recomendadas varia de acordo com cada problema e deve ser usado sob prescrição médica. Embora não pareça, os colírios são considerados remédios e não devem ser usados sem acompanhamento, pois às vezes podem mascarar, em vez de tratar, a doença.

 

Conheça os principais tipos de colírios e para que servem

 

1.Artificial Tears

Os colírios do tipo lágrimas artificiais permanecem na superfície do olho e acrescentam volume ao filme lacrimal. A mistura de ingredientes atrai e retém a água, hidratando e lubrificando a superfície do olho. É indicado para alívio temporário da ardência, desconforto e irritação causados por excesso de exposição ao vento e sol, por exemplo.

 

2. Lubrificantes

Como o nome sugere, servem para lubrificar o olho e são indicados especialmente para usuários de lentes de contato. Ao contrário dos colírios comuns, não são tão espessos e proporcionam alívio duradouro do ressecamento.

 

 

3. Gel

Os colírios em gel são mais espessos e não oleosos. Eles têm  maior concentração de ingredientes de lubrificação e, por serem mais viscosos, podem causar visão turva logo após a aplicação.

 

4. Pomadas

Em geral, é indicado para sintomas intermitentes, como a secura e irritação constante dos olhos. Feita a base de um ingrediente lubrificante parecido com a vaselina, a pomada fornece alívio temporário e ajuda-os a se manterem úmidos. O uso pode causar embaçamento prolongado, por isso não é recomendado quando a visão clara é indispensável.

 

5. Antibióticos

Com substâncias antibióticas, estes colírios são indicados para o tratamento de infecções e inflamações causadas por bactérias, como conjuntivites. 

 

6. Anti-inflamatórios

Possuem substâncias com ação anti-inflamatória, ajudando a prevenir e aliviar a dor e a inflamação. Em geral, são indicados durante a recuperação de uma cirurgia nos olhos ou no tratamento de doenças como conjuntivite viral.

 

7. Antialérgicos

Recomendado para o tratamento de reações alérgicas nos olhos, como coceira persistente, inchaço e irritação. Assim como alguns remédios anti-alérgicos, o uso destes colírios pode provocar sonolência.

 

8. Anestésicos

São usados por médicos para exames de diagnóstico, como medição da pressão ocular, raspagem do olho ou retirada de corpos estranhos. Devem ser usados com extremo cuidado, pois retiram a dor e a sensibilidade, o que pode fazer com que a pessoa se machuque coçando o olho, por exemplo.

 

9. Vasoconstritores

Com ação descongestionante, são indicados para o alívio de irritações leves e vermelhidão, além de proporcionar lubrificação.

 

10. Emulsão

Podem ser aplicados caso a pessoa tenha problemas com as glândulas produtoras de lágrimas. As gotas criam uma camada de óleo no filme lacrimal, o que reduz a evaporação das lágrimas produzidas.

 

Como usar os colírios corretamente

Além de seguir a recomendação médica para cada tipo de colírio, é importante aplicá-lo de forma correta. Atenção aos cuidados a seguir:

  • Não encoste a ponta do frasco nos olhos, nos dedos ou em outra superfície, para evitar contaminação;
  • Se precisar usar mais de um tipo de colírio, aguarde ao menos cinco minutos entre as aplicações;
  • Feche o frasco imediatamente após a aplicação.

Acompanhe todas as novidades do blog, inscreva-se na nossa newsletter!

 

 

Leia também:

Prescrição de medicamentos: o farmacêutico pode fornecer?

Farmacologia veterinária: tire suas dúvidas sobre a especialização

Como funciona a aplicação de vacinas em farmácias