Blog

Medicamento clone: Você já ouviu falar e sabe para que serve?

Você provavelmente já sabe da importância do controle de qualidade dos medicamentos nas farmácias, não é mesmo?

Além disso, não é segredo para ninguém que todo medicamento precisa ser devidamente registrado na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e comprovar a sua eficácia através de estudos e laudos clínicos.

Contudo, esse processo pode ser mais demorado do que deveria e engessar a liberação de medicamentos pelos órgãos de regulação.

Imagine quantos medicamentos são auditados pela Agência? Com certeza são milhares de produtos, a maioria de extrema importância para o tratamento e combate de doenças graves.

Para evitar essa demora surgiu a denominação “medicamento clone”. Você sabe o que é isso e como identificá-lo? Veja tudo sobre esse tema neste post!

O que é um medicamento clone?

A verdade é que não dá para identificar um medicamento clone apenas olhando para sua embalagem, pois essa denominação não vem escrita na caixa do medicamento.

Essa é uma categoria usada dentro da ANVISA para liberar medicamentos mais rapidamente e não afeta em nada a qualidade dos produtos.

 

 

Um medicamento clone é aquele que possui as mesmas características de outro remédio já liberado pela Agência Nacional. Ou seja, o processo de fabricação, fabricante, estudos, laudos e demais informações são as mesmas.

Assim, ao invés de analisar o produto do zero, a ANVISA leva em conta a liberação do outro produto, chamado de processo matriz. Para completar a liberação basta focar no que ambos os produtos têm de diferente, contribuindo assim para liberar os medicamentos de forma mais rápida.

Mais detalhes dessa denominação e como dar entrada nessa petição de registro clone, podem ser vistos na norma RDC 31/2014 da ANVISA.

Vantagens dos medicamentos clones

As vantagens de medicamentos clones são inúmeras, tanto para pacientes como farmacêuticos e a própria indústria de medicamentos.

Como já vimos, a nominação especial ajuda a agilizar o processo de liberação. Essa rápida inserção do medicamento nas farmácias, por sua vez, contribui para diversificar o tratamento de doenças e até alcançar a cura dessas patologias.

O farmacêutico tem em mãos produtos de boa qualidade e muita variedade de medicamentos, o que contribui para receitar os produtos adequados para os clientes de sua farmácia.

Em um país famoso por sua extensa burocracia e vagarosidade em seus processos, é bom saber que existem medidas para combater a lentidão no setor de saúde, não é mesmo?

O que você acha dessa modalidade de medicamento e da agilidade promovida por esse processo? Deixe o seu comentário abaixo!