Blog

Cientistas anunciam um novo teste para o Zika Vírus

Dois estudos da New York University, publicados na quinta-feira (22) no “PLos One" e no "Journal of Visualized Experiments", trouxeram uma excelente notícia para o surto do Zika Vírus.

Os pesquisadores adaptaram o teste rápido de HIV para diagnosticar o Zika, através de uma técnica chamada de amplificação isotérmica. Atualmente já existem exames para o diagnóstico dessa infecção, contudo a descoberta promete detectar a doença de maneira mais rápida.

Além disso, o teste rápido do Zika Vírus recém-descoberto, ainda é capaz de estimar a gravidade da infecção através de informações da carga viral.

O estudo

O procedimento consiste em amplificar o vírus no organismo até que ele possa ser detectado pelo exame. Com isso seria mais fácil diagnosticar a doença e controlar surtos futuros, como os que acontecem anualmente.

O exame leva em conta a mesma técnica empregada nos testes de HIV, que já são vendidos nas farmácias. A iniciativa promete ser mais rápida que a Reação em cadeia da polimerase em tempo real, usada para diagnosticar o Zika no mundo todo.

 

 

A técnica é demorada por precisar fazer cópias do RNA do vírus para que ele seja diagnosticado, o que não iria ocorrer com o novo teste. A amplificação isotérmica pula a etapa de cópias do RNA, o que acelera o diagnóstico da doença.

Segundo um dos responsáveis pela descoberta, o Professor Daniel Malamud, essa possibilidade já era conhecida pelos pesquisadores quando desenvolveram o teste rápido do HIV. Qualquer doença infecciosa pode ser diagnosticada rapidamente pelo exame, contudo é preciso conhecer a sequência genética do vírus antes.

Depois de testes e pesquisas árduas para conhecer a estrutura do Zika Vírus, finalmente os cientistas conseguiram adaptar o exame. Uma notícia animadora para combater os surtos frequentes da doença e facilitar o diagnóstico.

Zika no Brasil

O surto do Zika Vírus no Brasil se alastra desde o ano de 2016. A epidemia começou em território brasileiro em 2012 e depois se alastrou para os demais países das Américas do Sul e Central.

Levantamentos estimam que 10 a 15% da população brasileira foi afetada pelo Zika Vírus. A OMS (Organização Mundial da Saúde), por sua vez, já alertava para uma possível epidemia nas Américas em 2016.

No Brasil existe um exame rápido para diagnóstico baseado na contagem dos anticorpos do paciente e leva 15 minutos para detecção. O novo exame rápido, no entanto, seria uma ótima arma para combater os surtos.

Gostou desse post? Compartilhe em suas redes sociais e ajude a espalhar essa novidade!