Blog

Mês de prevenção a automedicação traz o tema novamente à tona!

 

De acordo com o Ministério da Saúde foram registrados em torno de 60 mil casos de intoxicação por medicamentos nos últimos 5 anos. Esse montante representa um rombo de mais de 60 bilhões nos cofres públicos, arcado pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Por causa disso, o Conselho Federal de Farmácia e outros órgãos de saúde selecionaram o dia 5 de maio como a data oficial de combate a automedicação. Como comemoração, os profissionais ministram palestras sobre o tema e expandem a conscientização à comunidade.

Em todo o mês de maio esse assunto volta a tona, ressaltando a importância do uso racional de medicamentos e cuidados com esses fármacos. Todos os integrantes da rede de saúde têm a sua responsabilidade nessa hora.

Problemas da automedicação

Além do rombo nos cofres públicos, a automedicação gera muitos outros prejuízos a saúde dos pacientes e complicações sérias.

Tomar medicamentos sem prescrição médica pode causar outras doenças graves, em decorrência da super medicação, paralisação do funcionamento dos fármacos, super dosagem, efeitos colaterais, entre outras complicações.

Outro problema grave é a dependência causada pelos fármacos, que acaba piorando os sintomas da doença, aumentando a resistência do organismo aos princípios ativos e exigindo uma dosagem cada vez maior.

O papel do farmacêutico

Como farmacêutico o papel é conscientizar a comunidade sobre o uso correto dessas substâncias, orientando sobre a dosagem, efeitos colaterais, horários de medicação e assim por diante.

 

 

O farmacêutico está mais perto da comunidade e, por causa disso, consegue trabalhar melhor na conscientização geral. Mas não só ao farmacêutico cabe tal responsabilidade.

Erros de prescrição também podem causar a intoxicação dos pacientes, como a duplicação de princípios ativos em tratamentos desnecessários. Entram nessa lista a iatrogenia nos idosos também, erros na hora de indicar fármacos, etc.

O poder público e os demais estabelecimentos de saúde também possuem suas responsabilidades. Cabe a eles facilitar o acesso da população ao atendimento médico, de modo que a pessoa prefira consultar-se antes de ingerir qualquer medicamento.

A demora e as longas filas no atendimento é um dos motivos da automedicação, já que a população prefere tomar remédio por conta para se ver livre da dor do que esperar meses por uma consulta.

Em suma, todos têm um papel importante no combate a automedicação, inclusive os pacientes. Apenas com a conscientização de todos e ações efetivas é que esse rombo bilionário pode ser combatido e milhares de vidas salvas.

Aproveite e faça a sua parte! Compartilhe este post em suas redes sociais agora mesmo e ajude a conscientizar as pessoas.