Blog

Câncer de mama pode ser reduzido em 38% com uso de medicamento

Temido e alvo de uma das mas maiores campanhas permanentes de combate e prevenção, o câncer de mama também é tema de muitos estudos e pesquisas.

Entre essas pesquisas e descobertas, uma revisão de estudos com dados de mais de 83 mil mulheres sinalizou que o uso de moduladores hormonais reduz em aproximadamente 38% o aparecimento de tumor em mulheres saudáveis com alto e médio risco de desenvolver a doença.

Essa é uma primeira análise de estudos clínicos envolvendo esse tipo de medicamento, que evita que o estrogênio faça as células da mama se multiplicarem no caso de tumores hormonais de mama. Cerca de 70% desses tumores têm esse perfil.

Os medicamentos podem ser indicados em casos em que a paciente, mesmo saudável, possuir histórico importante de doença na família, lesões precursoras do câncer ou mesmo mutações genéticas que aumentam a chance de desenvolvê-lo. Em geral, o tratamento é oferecido a mulheres que estão na pós-menopausa.

A eficácia das drogas já é conhecida, contudo há um receio em prescrever os moduladores hormonais em decorrência de seus efeitos colaterais. O novo estudo aponta que mulheres que usaram a mais conhecida dessas drogas, o tamoxifeno, tiveram uma incidência maior de câncer de endométrio do que as que receberam placebo. Além disso, os quatro medicamentos analisados aumentaram a ocorrência de trombose.

De fato o estudo é simplesmente uma observação científica acerca das propriedades dos moduladores hormonais em relação ao câncer de mama, mas já indicam novos caminhos para outros estudos e desenvolvimento de substâncias ainda mais eficientes e com menores riscos no tocante aos efeitos colaterais.

Fonte: Guia da Farmácia