Blog

Medidores de pressão

Com mais e mais casos de hipertensos no Brasil, a procura por aparelhos que medem a pressão arterial
tende a aumentar. Por isso, uma boa exposição e orientação no PDV são garantias de boas vendas
Até 2025, o número de hipertensos nos países em desenvolvimento, como o Brasil, deverá crescer 
80%, segundo estudo conjunto da Escola de Economia de Londres, do Instituto Karolinska (Suécia) e da 
Universidade do Estado de Nova York.

A vida agitada e estressante da maior parte da população faz com que os cuidados com a saúde não
aconteçam de forma adequada. Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a pressão alta 
é uma doença democrática e muito comum, acomete uma em cada quatro pessoas adultas, chegando a 
mais de 50% após os 60 anos no Brasil. É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% 
dos casos de insuficiência renal terminal.

As graves consequências da pressão alta podem ser evitadas, desde que os hipertensos conheçam sua
condição e mantenham-se em tratamento com adequado controle.

O acompanhamento dos valores da pressão arterial é fundamental para evitar problemas graves, como 
o infarto e o Acidente Vascular Cerebral (AVC). Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, no País, 
são cerca de 30 milhões de pessoas que sofrem com a hipertensão.

Por isso, medir a pressão arterial em casa é extremamente útil, já que auxilia o médico a acompanhar a
evolução da doença a longo prazo, além de avaliar a eficácia do tratamento e ajustá-lo, se necessário. 
Para isso, os medidores portáteis são uma importante ferramenta de controle.

Diante de tal cenário, fazer o controle da pressão tornou-se essencial. Antigamente as pessoas tinham 
por hábito recorrer a hospitais ou farmácias para aferi-la, porém, hoje, há a possibilidade de elas fazerem o procedimento em suas residências, aumentando, assim, a procura por aparelhos medidores de pressão. Existem no mercado dois modelos: de braço e de pulso. O primeiro se aproxima do tradicional (aneroide), não possuindo tantas restrições ao uso e sendo mais preciso que a outra versão. O modelo de pulso é considerado mais prático e portátil, porém é preciso seguir as recomendações do fabricante com relação às instruções de uso para não haver distorções no resultado. Por ser uma versão automática, geralmente são os mais procurados pelos consumidores.

De acordo com as indústrias do setor, independentemente do medidor de pressão que o consumidor use, não existe um horário específico para ter uma medição precisa, basta apenas que o usuário esteja em repouso e siga as orientações técnicas, encontradas no manual do produto.

Exposição adequada
Como parte fundamental do controle da hipertensão, os medidores de pressão devem estar expostos
de maneira adequada para que o shopper possa encontrar o sortimento de maneira fácil. Além disso, a 
orientação do farmacêutico é fundamental na hora da escolha. 

Apesar de serem úteis para o controle da pressão do paciente, ficam, por muitas vezes, esquecidos no 
meio de categorias às quais nem sempre são similares, ou seja, não têm sido trabalhados como merecem 
no PDV.

As oportunidades de vendas para esses produtos são muitas e ocorrem todos os dias, basta comparar as 
vendas em unidades de anti-hipertensivos e o número de vendas de monitores. O que se percebe é que 
há muito espaço para crescimento.

Uma simples pergunta ao cliente que compra um produto para tratamento da hipertensão arterial faria o
varejista perceber o tamanho desse mercado, garantem as indústrias do setor.

Hoje o mercado farmacêutico cresce de 7% a 10% e essa categoria de equipamentos para saúde varia
entre 20% e 30%. Diante desses dados, é impossível não acreditar no aumento do faturamento.

Para a gerente comercial saúde e marketing da Incoterm, Ana Paula Marquioretto, o canal farma passa
a ser um ponto de venda extremamente importante para esse tipo de produto. É nesse canal que os 
clientes buscam esses aparelhos e também apresentam curiosidades sobre essa doença comum e 
crônica, já que a hipertensão é uma doença assintomática e muitas pessoas que são hipertensas acham 
que não têm a doença. “Os balconistas, assim como os nossos promotores, auxiliam os clientes com 
informações, dão dicas saudáveis e orientam na compra de um aparelho específico, seu funcionamento e maneira correta de medir em casa.”

Ela acrescenta que a saída dos medicamentos isentos de prescrição da área livre de circulação fez
com que os espaços de perfumaria, não medicamentos e correlatos, como os medidores de pressão, 
passassem a ser tendência de consumo entre os brasileiros. “Então, nós da Incoterm orientamos que 
os medidores de pressão passem a estar expostos de preferência na altura dos olhos do consumidor, 
especialmente em displays atrativos com o objetivo de facilitar a visualização.” Ela ainda ressalta que, 
como indústria, há a obrigação de apresentar peças de merchandising que facilitam a visibilidade ao 
consumidor e ajudam também o farmacista a mostrar os produtos aos seus clientes.

Para dar maior visibilidade no PDV e alavancar as vendas, o produto deve ser exposto nas gôndolas, em
prateleiras visíveis, ou seja, na altura dos olhos do cliente, que assim saberá da existência dele. Não se 
pode, ainda, esquecer a exposição no balcão, pois, além de o consumidor visualizar de perto o produto, 
tem o balconista à sua frente para sanar as dúvidas com relação ao equipamento.

Além do produto para demonstração no balcão, o ideal é ter também pelo menos dois modelos na vitrine, já que isso gera a lembrança de estimular o cliente a adquirir o produto e também de chamar a atenção quanto ao hábito de verificação da pressão arterial, recomendado pelos médicos.

Ajuda profissional
O farmacêutico tem um papel importante para a categoria de medidores de pressão. Ele deve 
ter conhecimento sobre as características e funcionalidades dos produtos, sobre a empresa que 
comercializa, sua credibilidade, se segue normas, se tem certificações, enfim saber tudo sobre os 
atributos do produto.

“Damos total importância ao treinamento e à capacitação, pois queremos que os nossos clientes 
conheçam muito bem nossos produtos e nossa forma de trabalhar. Também oferecemos aos varejistas 
promotores que auxiliam na exposição do PDV e orientam tanto os balconistas como os consumidores 
sobre dúvidas da doença, dicas, hábitos saudáveis e informações sobre os nossos produtos, seu uso 
correto e atributos”, ressalta a gerente da Incoterm.

A maioria dos clientes busca produtos de qualidade, funcionais, fáceis de operar e que dão garantias. Se o produto possui certificações como o selo do Inmetro e da Sociedade Brasileira de Cardiologia, também reforça o atributo de qualidade, pois estamos nos referindo a produtos voltados à saúde.