Blog

Quais os tipos de receitas médicas mais comuns e como diferenciá-las?

Você, farmacêutico, já deve ter tido contato com vários tipos de receitas médicas, não é mesmo. Mas você sabe realmente diferenciá-las?

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) estabeleceu regras e convenções específicas para que a prescrição médica seja feita de maneira correta. Somente médicos, cirurgiões dentistas e médicos veterinários habilitados podem receitar medicamentos.

Para tirar suas dúvidas e saber realmente diferenciar os tipos de receitas médicas, preparamos este post com todas as informações que você necessita saber. Continue a leitura e tire todas as suas dúvidas.

Veja quais os tipos de receitas médicas existentes

Antes de saber quais os tipos de receitas médicas existem, é preciso saber que em uma prescrição médica é preciso conter:

  • Os dados do paciente – nome completo e idade;
  • O nome do medicamento que ele deve tomar e a sua forma farmacêutica;
  • A dose que deve ser ingerida diariamente e a concentração recomendada do medicamento;
  • As orientações do médico para o paciente;
  • Data, assinatura do médico responsável, nome completo do profissional e o seu registro CRM;
  • Em casos de receitas pediátricas, os médicos costumam colocar o peso e altura da criança e outras informações sobre o tratamento, como repouso ou dieta.

Com esses dados, os tipos de receitas médicas que você vai encontrar são as brancas ou azuis. As de cor branca são usadas para os remédios que possuem a tarja vermelha. Aqueles que podem ser comercializados sem prescrição médica. Antibióticos, por exemplo, são prescritos em duas vias de receitas brancas, pois uma fica com o paciente e outra com a farmácia.

As receitas de cor azul são conhecidas como notificação de receituário, são obrigatórias para prescrever os remédios que podem causar algum tipo de dependência. Um exemplo disso são os antidepressivos ou tranquilizantes, eles sempre serão prescritos em receitas azuis.

Vale ressaltar que as receitas azuis vão junto com uma via branca, para que a azul fique retida na farmácia, como forma de controle e acompanhamento do tratamento. Lembramos ainda que esses tipos de receitas médicas devem conter a identificação do paciente e do fornecedor: nome, endereço e também o telefone de contato.

Existem também as receitas amarelas, que são usadas especificamente para prescrever medicamentos controlados como, por exemplo, os psicotrópicos. No entanto, são as menos utilizadas, somente em casos muito específicos.

Existe receita renovável?

Há também uma categoria especial entre os tipos de receitas médicas, são as renováveis. Esse é um modelo criado para uso particular de pacientes que possuem doenças crônicas. Isso é para evitar que ele tenha que se deslocar sempre ao posto de saúde ou hospital para obter uma nova prescrição médica.

Geralmente, para esses pacientes, os remédios são os mesmos, por isso o profissional usa esse tipo de receita médica.

Os farmacêuticos devem saber quais os tipos de receitas médicas que recebe, pois conforme descrito anteriormente, cada uma é para um caso específico. Agora que você já tem conhecimento, é somente ficar atento e não vender medicamento sem prescrição correta.

Gostou deste post? Deixe seu comentário e compartilhe sua opinião conosco!