Blog

Medicamento produzido por inteligência artificial é aprovado para testes em humanos

Você já ouviu falar em medicamento produzido por inteligência artificial? Ele foi criado por uma conjunta farmacêutica japonesa, a Sumitomo Dainippon Pharma e a startup britânica de IA Exscientia e já está aprovado para ser testado em seres humanos.

A criação desse remédio e todo o processo de pesquisa foram concluídos em um período de 12 meses. Fazendo a comparação com estudos humanos, eles demoram, em média, quatro anos e meios para serem concluídos. Isso mostra o quanto a tecnologia tende a contribuir e avançar a produção de medicamentos.

Neste post você vai saber mais sobre o medicamento produzido por inteligência artificial. Saiba qual é o remédio e as expectativas do setor com essa evolução. Boa leitura!

Qual é o medicamento produzido por inteligência artificial?

O DSP-1181 foi criado por meio de uma conjunta farmacêutica japonesa, a Sumitomo Dainippon Pharma e a startup britânica de IA Exscientia. A primeira indústria disponibilizou a sua experiência e conhecimento em descoberta de novas drogas. Já a segunda disponibilizou a plataforma de inteligência artificial, conhecida como Centaur Chemist.

Esse medicamento é um agonista do receptor da serotonina 5-HT1A, porém, de ação prolongada e potente. Ele será utilizado em estudo clínico de fase I para tratar o transtorno obsessivo compulsivo, o TOC.

O objetivo principal da Sumitomo Dainippon Pharma é conseguir tratar as principais necessidades médicas que ainda não foram atendidas pelas áreas de psiquiatria e neurologia. A primeira fase de testes humanos do DSP-1181 será realizada no Japão. No entanto, se o procedimento for bem-sucedido, irá passar por outras análises globais.

Em paralelo ao medicamento produzido por inteligência artificial para o TOC, estão sendo processados outros. Porém, serão para o tratamento do câncer e de doenças cardiovasculares.

Quais as expectativas para o medicamento produzido por inteligência artificial?

Para o diretor da Exscientia, o uso do DSP-1181, medicamento produzido por inteligência artificial, será fundamental para a descoberta de novos medicamentos. Ele ressalta que o sucesso desse projeto é o alinhamento forte de conhecimentos e experiências integradas em química e farmacologia com a tecnologia IA.

A intenção é que até o final deste ano, outra molécula, assim como a DSP-1181, esteja pronta para iniciar os testes clínicos. A previsão é que até o final dessa década todos os novos medicamentos sejam produzidos por inteligência artificial.

O uso da inteligência artificial tem sido cada vez mais importante dentro da indústria farmacêutica. Aliás, muitas empresas e laboratórios estão em busca de profissionais especializados nessa nova tecnologia com a intenção de desenvolver medicamentos inovadores.

Como você pôde ver, o medicamento produzido por inteligência artificial é um avanço para a medicina. Se todos os testes derem certo, esse será o meio para produzir remédios para suprir as necessidades de pacientes com outras doenças. E o melhor, serem desenvolvidos com menos tempo e com maior precisão.

Gostou de saber mais sobre o medicamento produzido por inteligência artificial? Continue recebendo mais notícias por meio da nossa newsletter. Clique aqui.