Blog

Medicamentos contra o coronavírus: OMS investe em estudos colaborativos

Nunca tantos cientistas e pesquisadores do mundo se concentraram com tanta urgência em torno de um único ponto: a criação ou utilização de medicamentos contra o novo coronavírus. 

Com o atual cenário provocado pela pandemia de COVID-19 quase todas as outras pesquisas foram interrompidas para que os esforços fossem voltados para a criação de medicamentos contra o coronavírus. A OMS (Organização Mundial da Saúde) tem ajudado a impulsionar essas pesquisas promovendo várias iniciativas e projetos.

Conheça, a seguir, duas dessas iniciativas e a sua importância.

Projeto Solidarity

O projeto Solidarity, idealizado pela OMS, tem como objetivo fazer análises e realizar testes com quatro dos tipos de drogas que mais chances apresentam de serem úteis no tratamento contra o novo coronavírus.

De acordo com a OMS, esse projeto ambiciona acelerar o processo de medicamentos contra o coronavírus, pois parte de compostos já existentes.

Os pesquisadores envolvidos também realizam testes com substâncias que ainda não são aprovadas, mas que se mostraram promissoras em estudos feitos com animais com MERS e SARS, outros dois tipos de coronavírus.

Remdesivir (ebola), Cloroquina (malária), Ritonavir ou Lopinavir (usados no coquetel contra HIV) e Interferon beta são os compostos mais promissores.

Plataforma de estudos

Outra iniciativa da Organização Mundial da Saúde foi a criação de uma plataforma interna, por meio da qual serão reunidos diversos estudos, pesquisas e ensaios envolvendo medicamentos contra o coronavírus. Aqui, o objetivo também é o desenvolvimento de soluções mais rápidas e mais acessíveis, que se mostrem eficientes evitando que casos mais complexos e graves provoquem a morte dos pacientes.

Importância das iniciativas e projetos contra o novo coronavírus

Uma declaração, divulgada recentemente pela Organização Mundial da Saúde deixa claro o peso e a importância de projetos de combate à pandemia:

“Somos cientistas, médicos, financiadores e fabricantes que se uniram como parte de uma colaboração internacional, coordenada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), para ajudar a acelerar a disponibilidade de uma vacina contra o COVID-19.

Embora uma vacina para uso geral leve tempo para se desenvolver, uma vacina pode ser fundamental para controlar essa pandemia mundial.

Nesse ínterim, aplaudimos a implementação de medidas de intervenção comunitária que reduzam a disseminação do vírus e protegem as pessoas, incluindo populações vulneráveis, e prometemos usar o tempo ganho com a ampla adoção de tais medidas para desenvolver uma vacina o mais rápido possível.

Continuaremos os esforços para fortalecer a colaboração mundial sem precedentes, a cooperação e o compartilhamento de dados já em andamento.”

Observações importantes

Entre os principais sintomas provocados pelo novo coronavírus no organismo de uma pessoa estão a dificuldade para respirar, febres e tosse. A principal forma de contágio da doença ocorre por contato, seja com uma pessoa infectada (espirro, tosse) ou via superfícies contaminadas.

Apesar das iniciativas, grandes e pequenas, visando combater o avanço do vírus, o fato é que ainda não há uma cura específica. Logo, os cuidados básicos ainda são a melhor opção de prevenção:

  • Evitar tocar olhos e nariz sem limpar as mãos;

  • Cobrir boca e nariz com o cotovelo ou um lenço ao espirrar ou tossir;

  • Higienizar as mãos com álcool em gel e sempre lavá-las com água e sabão por 20 segundos.

São cuidados simples, mas muito úteis para a segurança enquanto medicamentos contra o coronavírus ainda não desenvolvidos.

Quer se manter atualizado com os principais assuntos do setor farmacêutico? Assine nossa newsletter e receba nossas atualizações em seu e-mail!