Blog

Pandemia e automedicação: Combinação perigosa à saúde

Em suma, a automedicação nunca foi uma prática saudável e menos ainda indicada pelos profissionais da saúde. Até mesmo porque, em épocas de pandemia, pode ser muito pior caso algum problema ocorra devido a automedicação. Logo, pandemia e automedicação são duas coisas que não combinam.

Para evitar esse tipo de problema, é preciso contar com o auxílio de profissionais capacitados. Dessa forma, evita-se uma série de problemas que podem aparecer como resultado da automedicação.

Os malefícios da automedicação

Se uma pessoa toma remédios, entende-se que ela deve estar com algum problema, seja ele físico ou mental. Quando este já é um remédio indicado por profissionais, a sua utilização está liberada, desde que respeite a quantidade e forma de consumo.

No entanto, muitos remédios tomados por pessoas que praticam a automedicação, podem servir somente como um ocultador da doença e causador de muitas outras. Um exemplo disso é a utilização de anti-inflamatórios.

Quando são ministrados de maneira incorreta e com uma determinada frequência, podem causar problemas renais, taquicardia, aparecimento de mais dores, etc.

A importância de ter orientação profissional

A pandemia e automedicação são dois problemas muito presentes atualmente. Por medo de se contaminar, as pessoas evitam agendar consultas presenciais e acabam se automedicando. No entanto, com o grande surgimento de consultas médicas online, a automedicação torna-se a última opção.

Além disso, muitas das pessoas que se automedicam, fazem isso na intenção de somente cessar os sintomas, mas não tratar a doença. Logo, ao notar o alívio de dores e incômodos, pode surgir uma dependência e um uso excessivo e sem maiores necessidades do remédio.

No entanto, a partir do momento em que se tem uma orientação profissional, é mais fácil adquirir o remédio adequado. Um exemplo de ótimo profissional, é o farmacêutico. Ele está apto para lidar com esse tipo de situação e conhece muito bem todos os efeitos de cada medicamento.

Assim, colabora na hora de alertar o consumidor sobre os possíveis problemas e efeitos que ele pode ter com a medicação, bem como também indicará a forma correta de tomá-los e garantir o efeito desejado.

Médico x Farmacêutico

De fato, quando ocorrem problemas frequentes, como enxaquecas, dores nas costas e demais incômodos, o mais indicado é sempre consultar um médico. A partir de uma anamnese adequada e exames que mostram o real problema, será possível realizar um tratamento adequado.

Tanto o médico quanto o farmacêutico são dois profissionais de grande importância, já que o farmacêutico também faz a sua parte em reforçar as orientações médicas e direcionar o paciente pelo melhor caminho.

A automedicação é muito perigosa e pode causar uma série de efeitos adversos no paciente, além de disseminar uma cultura equivocada de que a automedicação não apresenta riscos.

 Por isso, é preciso sempre buscar orientação com pessoas qualificadas e que poderão passar a informação correta sobre o medicamento, fazendo com que os riscos sejam, de fato, menores e fazer com que pandemia e automedicação não agravem o problema.

Conheça o site da Doutor Teuto e siga nas redes sociais!

 

Fonte:

https://guiadafarmacia.com.br/pandemia-e-sinal-amarelo-para-risco-de-automedicacao/
https://www.unisc.br/pt/noticias/pandemia-os-riscos-da-automedicacao-e-os-cuidados-com-a-saude