Blog

Conheça os efeitos da COVID-19 no varejo farmacêutico

O efeito COVID-19 no varejo farmacêutico foi sentido de perto por muitos profissionais. Afinal, a forma do cliente consumir mudou drasticamente, fazendo com que uns reduzissem o consumo, enquanto outros o aumentassem de forma considerável.

Logicamente, tudo isso causou uma certa confusão nos comerciantes, já que foi algo que aconteceu da noite para o dia e muitos precisaram se adaptar de maneira rápida. Com isso, entender como o efeito COVID-19 no varejo farmacêutico atuou, é importante para ter ideia dos impactos.

Aumento de medicamentos

Uma curiosidade de chamou atenção de muitos empresários e gestores é que o efeito COVID-19 no varejo farmacêutico fez acelerar a venda de medicamentos, mesmo aqueles que nada tinham a ver com a COVID-19, como anticoncepcionais.

Imagina-se que isso tenha acontecido, logo no início, por conta da estocagem de produtos que muitas pessoas estavam fazendo. Em geral, os consumidores finais foram os que mais apresentaram um aumento de compras, fazendo com que as farmácias obtivessem cerca de 33% no aumento de vendas, segundo levantamento do Interplayers. Em geral, o aumento se caracterizou como:

●      18% de aumento em medicamentos para combate de doenças infecciosas;

●      10% de aumento de medicamentos para problemas respiratórios.

Além disso, os produtos por atendimento (PA) ou itens por compra também aumentaram em 7,2% em um tempo muito rápido.

Comportamento de compra

Logicamente, o comportamento do consumidor mudou de forma considerável. O que antes era despreocupado e sem pressa, em seguida virou algo quase que desesperado. Fraldas, absorventes, remédios, shampoos, álcool gel e demais itens passaram a serem vendidos de forma constante em farmácias.

Uma das explicações para que o comportamento de compra fosse alterado, é o fato de que a população estava se preparando de forma ágil e apressada para a chegada de uma possível quarentena. Essa, que de fato, chegou.

Além disso, também houve o adiantamento nos preços de medicamentos e produtos de higiene. Essa característica, somada com a preparação para a quarentena e pandemia, fez com que as vendas aumentassem.

Como está o consumo agora?

Após algum tempo de pandemia, o efeito do COVID-19 no varejo farmacêutico e o comportamento do consumidor têm apresentado mudanças novamente. Segundo pesquisa da consultoria especializada IQVIA, ocorreu a seguinte mudança com os remédios antigripais:

●      Março, início da pandemia: crescimento de quase 50%, apresentando receita de R$ 282,52 milhões.

●      Meses seguintes até junho: queda de vendas que soma R$ 118,49 milhões. Esse valor se mantém em sinal de baixa até o mês atual (agosto).

Uma das explicações para essa mudança de comportamento, segundo o presidente do Sindicato da Indústria Farmacêutica, Nelson Mussolini, o aumento ocorreu por conta dos consumidores estarem se preparando para a pandemia.

Já no momento de abril até junho, inclusive no momento atual, a queda se refere ao fato de muitos indivíduos estarem deixando de lado os medicamentos e se precavendo com o uso de máscaras, álcool gel e isolamento social. Porém, o efeito COVID-19 no varejo farmacêutico, ainda pode causar mudanças.

Para continuar se atualizando, cadastre-se clicando aqui e tenha acesso a conteúdos exclusivos do site!

 

Fonte:

https://pharmainnovation.com.br/consumo-de-antigripal-recua-com-a-pandemia/
https://guiadafarmacia.com.br/impacto-do-coronavirus-na-venda-de-medicamentos/