Blog

Conheça os erros mais comuns no momento da medicação e saiba como evitá-los

Infelizmente, é mais comum do que se pensa encontrar erros na medicação. Esses erros, inclusive, podem acontecer por diversos fatores. Logo, é difícil apontar somente uma causa, mas algumas sem dúvidas se destacam.

Ademais, é muito importante também saber lidar com esse tipo de situação. Afinal, pode causar sérios problemas para os consumidores e também para laboratórios, farmácias, hospitais e demais estabelecimentos cujos os quais estão fornecendo o remédio.

A importância de não cometer erros na medicação

É indispensável evitar os erros na medicação em farmácias hospitalares. Mesmo que esses erros sejam por causas multifatoriais, envolvem geralmente circunstâncias semelhantes. Os principais, são:

●      Falta de conhecimento o suficiente;

●      Ausência de informações sobre os pacientes;

●      Violação de regras;

●      Lapsos de memória e deslizes;

●      Falhas na interação e comunicação clara com os demais profissionais.

Nesse contexto, é essencial que o farmacêutico tenha um conhecimento adequado para evitar ao máximo cometer tais deslizes. Até mesmo porque, isso pode custar muito caro em relação à saúde e bem-estar dos pacientes que necessitam do medicamento.

Logicamente, muitas coisas também dependem do ambiente de trabalho. Isso porque o mesmo deve ser organizado de uma maneira que propicie um desenvolvimento adequado para todas as suas atividades. Assim, torna-se muito mais fácil ter acesso à informações devidamente atualizadas sobre os assuntos desejados, como medicamentos, prescrições, armazenamento, etc.

Para ajudar a reduzir os erros na medicação, também é de suma importância educar os pacientes sempre que possível. Isso pode ser feito através da qualidade dos serviços prestados, sempre o conscientizando sobre a necessidade de conhecer os medicamentos e saber sobre aqueles que utiliza.

Principais erros na medicação

Os erros na medicação podem ser classificados como:

Erro de prescrição: prescrição incompleta, prescrição de medicamento a um paciente sabidamente alérgico, prescrição ilegível, etc.

Erro de dispensação: dispensação de medicamento errado por escrita ou pronúncia semelhante ao medicamento prescrito, problemas na rotulagem, dispensação de medicamentos em doses superiores ou inferiores, entre outros.

Erro de administração: administração equivocada de medicamentos errados devido ao nome ou embalagem semelhante, administração de medicamentos por via ou local errado, entre outros.

Segundo um levantamento realizado pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar da Universidade Federal de Minas Gerais (IESS-UFMG), todo ano, cerca de 1,3 milhão de pacientes sofrem de, pelo menos, um efeito colateral. Este, como já é de se imaginar, é causado por negligência ou imprudência nos medicamentos.

Assim sendo, torna-se indispensável que o líder da equipe torne-se responsável e saiba como manter tudo em ordem e sob controle, bem como resolver tais situações. Em algumas delas, é importante conferir com o paciente (se possível), supervisionar funcionários, conversar com prescritor, entre outros.

Conclusão

Como é possível observar, os erros na medicação são, infelizmente, mais comuns do que se imagina. Para evitá-los, é preciso estar sempre muito atento à rotina de trabalho, bem como receitas, pacientes e tudo ao redor. Dessa maneira, torna-se mais seguro atuar no segmento e evitar que sérios erros ocorram.

Acesse o site do Espaço Farmacêutico e saiba mais sobre o assunto!

 

Fonte:

https://site.abcfarma.org.br/erros-de-medicacao-conhecer-para-prevenir/