Blog

Estudo com nanopartículas aumenta a eficácia de antibióticos no combate à bactérias

As nanopartículas têm se mostrado benéficas para o aumento da eficácia de antibióticos. Nesse sentido, as nanopartículas de antibióticos chegaram como uma forma inovadora de aperfeiçoar o efeito de tratamentos.

Além disso, trata-se de uma inovação desenvolvida pelo CNPEM. Isso permite levar o fármaco diretamente até a bactéria e, assim, promover uma liberação mais eficaz, porém controlada, do princípio ativo. O estudo chegou a ser destaque na capa da revista Advanced Functional Materials. Para saber mais sobre o assunto, continue acompanhando este post!

A inovação

A nanopartícula foi, na verdade, desenvolvida por brasileiros. Essa invenção se baseia em uma nanopartícula que, quando entra em contato com o sangue, é capaz de carrear moléculas de antibiótico de maneira direta até as bactérias Escherichia Coli.

Em suma, ela funciona aderindo à parede do microrganismo. Assim, consegue liberar o medicamento de uma forma muito mais controlada. Além da praticidade e inovação, também pode ser considerada eficaz. Afinal, aumenta em até 10 vezes as possibilidades de sucesso do tratamento.

O que muitos não sabem, no entanto, é que essa grande novidade foi desenvolvida com o apoio da FAPESP, diretamente no Laboratório Nacional de Nanotecnologia, conhecido também como LNNano.

Segundo os próprios dados divulgados pela revista Advanced Functional Materials, os resultados foram publicados como sendo promissores. Afinal, a resistência aos antibióticos é algo muito conhecimento e considerado um problema de saúde pública.

Nanopartícula nas bactérias

Houve muitas dúvidas se as nanopartículas chegariam ou não nas bactérias depois de injetadas. Porém, após testes realizados, foi possível detectar que as nanopartículas não seriam detectadas pelo sistema imune.

Para ter certeza de que seria benéfica e eficaz, as nanopartículas também foram submetidas a testes e amostras de sangue humano. Até mesmo porque, a interação não causou efeito nos glóbulos vermelhos. Isso significa que a nanopartícula não é tóxica.

O próximo passo, agora, é garantir o aprimoramento estrutural da nanopartícula. O objetivo é possibilitar que, após feita a liberação do medicamento no local a ser tratado, o material se degrade e possa ser devidamente eliminado.

Benefícios e importância

Após os resultados obtidos até o momento, estima-se que grandes benefícios possam ser atingidos a partir do momento em que tudo estiver concluído. Afinal, é uma forma muito mais eficaz de tratar problemas de grande gravidade, oferecendo conforto ao paciente e sucesso em seu tratamento. Também é possível aguardar vantagens como:

●      Maior agilidade na cura;

●      Redução de efeitos adversos;

●      Tranquilidade e praticidade para pacientes e médicos.

Dessa maneira, torna-se algo de grande importância para garantir o sucesso dos tratamentos futuros e um grande passo para a medicina.

Conclusão

As nanopartículas de antibióticos são promissoras e tendem a garantir ótimos resultados. Até então, tudo está se mostrando promissor, mesmo com algumas dúvidas, comuns a tudo aquilo que é novo. Ainda assim, é uma possibilidade de eliminar a resistência das bactérias e tratar o problema de uma forma muito mais eficaz e positiva.

Para mais conteúdos, siga o Espaço Farmacêutico no Facebook!

 

Fonte:

https://pfarma.com.br/noticia-setor-farmaceutico/estudo-e-pesquisa/5085-nanoparticula-aumenta-em-ate-10-vezes-a-eficiencia-de-antibiotico.html