Blog

Como fazer o descarte de medicamentos de forma correta e segura

Dizem que até os melhores remédios podem se transformar em venenos se usados de forma incorreta. De fato, embora sejam essenciais para o tratamento e cura de muitas doenças, eles podem ser letais se não receberem o destino adequado quando passam da data de validade ou não são mais necessários para o paciente. Saber como e onde descartá-los é fundamental para evitar acidentes.

Um dos principais riscos de não fazer o descarte de medicamentos corretamente é o uso inadvertido por outras pessoas, o que pode causar reações adversas e intoxicações. De acordo com o Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas, o Sinitox, os remédios ocupam o primeiro lugar entre os agentes causadores de intoxicações desde 1996. Mesmo as medicações mais comuns e encontradas facilmente nas farmácias, como a dipirona, podem causar alergias a algumas pessoas. Por isso, é sempre importante seguir as recomendações médicas antes de tomar um remédio.

Outro perigo de não descartar os medicamentos de forma segura e correta é a contaminação da água, do solo e dos animais. Se forem parar no esgoto, as substâncias químicas dos medicamentos podem chegar a rios e córregos e contaminar a água potável. Se colocados no lixo comum, os remédios podem ser ingeridos por animais ou irem parar no solo. Todo o cuidado é pouco ao lidar com substâncias que, quando não manejadas da maneira certa, podem se tornar um risco para outras pessoas e para o meio ambiente.

Saiba como e onde descartar corretamente medicamentos vencidos ou não utilizados

Atualmente, no Brasil, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) busca elaborar um sistema de descarte de medicamentos. A ideia é que a exista uma maneira totalmente segura e sem riscos para o meio ambiente de eliminar remédios que sobraram por falta de uso ou por estarem fora do prazo de validade. 

Por enquanto, porém, existem iniciativas voluntárias que permitem o descarte seguro dos medicamentos. Desde 2009, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permite que farmácias coletem os resíduos. Por isso, o primeiro passo para efetuar o descarte de medicamentos é buscar esses locais. Caso não exista um ponto ou os existentes não façam esse serviço, é interessante procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para receber orientações.

Vale lembrar que não só os comprimidos ou líquidos devem ser descartados, mas também as embalagens, seringas ou outros objetos utilizados para a aplicação dos medicamentos devem ser eliminados de forma correta.

E se nenhuma dessas opções estiver disponível?

Se não existirem farmácias ou Unidades Básicas de Saúde próximo ao local onde você mora, não se preocupe. Existe outra maneira segura de efetuar o descarte de medicamentos vencidos ou não utilizados, segundo a Food and Drug Administration (FDA), agência americana responsável pela proteção e promoção da saúde pública no país.

A dica da FDA é misturar os medicamentos, sem esmagá-los, com alguma substância não comestível, como terra ou barro, areia de gatos ou borra de café. Em seguida, colocar a mistura em uma sacola plástica bem fechada, como embalagens zip-loc. Feito isso, é possível descartar os medicamentos no lixo comum.

Quer mais dicas como essa? Assine nossa newsletter e seja sempre o primeiro a receber informações. Clique aqui e inscreva-se!