Blog

A importância do planejamento e controle do estoque de farmácia

Um bom controle de estoque é fundamental para o funcionamento de uma farmácia. Em qualquer empreendimento, a gestão do estoque é importante para o sucesso da empresa, e com as farmácias não haveria de ser diferente.

No Brasil, o estoque de medicamentos é responsável por 5 a 20% do orçamento dos hospitais. Um bom gerenciamento desses recursos, portanto, é essencial para reduzir custos, falhas e garantir o tratamento dos pacientes.

 

Ele pode ser classificado em dois tipos diferentes de atividades:

 

  • As operacionais, que têm foco no controle de movimentação dos produtos, registro das movimentações, recebimentos, conferências, armazenagens e distribuição;
  • E as estratégicas, que buscam uma reposição mais eficiente, analisando dados de distribuição e dos estoques.

 

Conheça os principais problemas encontrados no controle de estoque de uma farmácia

A logística de uma farmácia, principalmente as hospitalares, costuma ser bastante complexo. Entre os problemas mais frequentes encontrados, estão a grande quantidade de medicamentos e insumos exigida pelos médicos e administração do hospital, a falta de sistemas eletrônicos inteligentes para controle dos produtos, as taxas de juros altas e a necessidade de controles rígidos da validade dos remédios, além de seus efeitos colaterais.

 

Passo a passo para um bem sucedido controle de estoque de uma farmácia

Existem alguns princípios básicos de gestão que podem ser facilmente aplicados às farmácias, garantindo os níveis de funcionamento e mantendo os custos dentro do orçamento. Além disso, existem softwares que exibem com facilidade os demonstrativos de uma farmácia, como a ferramenta Gestor Bulla. Conheça um passo a passo para controlar o estoque da sua farmácia de forma bem sucedida.

 

1. Atenção ao planejamento

Um planejamento de estoque eficiente consiste em obter dados sobre os recursos financeiros disponíveis e as demandas de consumo. Com essas informações, pode-se então determinar a distribuição de materiais e produtos, além de planejar o atendimento e gerenciar o estoque propriamente dito.

 

 

2. Acompanhe o abastecimento

O abastecimento é o processo que compreende a compra, o recebimento, a inspeção, o armazenamento e a distribuição dos remédios. Durante ele, é interessante manter os registros de preços, avaliar constantemente a qualidade dos produtos e dos fornecedores, e prestar atenção a eventuais exigências de contrato e condições de pagamento.

 

3. O controle propriamente dito

A execução da controle de um estoque de farmácia é fundamental para a avaliação do sistema de gestão, o mobiliário e equipamentos disponíveis, e os procedimentos envolvidos no agendamento das compras e recebimento.

 

4. Cuidado com a distribuição

É o passo final e um dos mais cruciais para o bom controle de estoque de uma farmácia. Trata-se de registrar detalhadamente as prescrições e a distribuição dos produtos, o que facilita o controle da base de dados dos medicamentos e dos pacientes. Também é um bom sinalizador das necessidades e da demanda do estabelecimento.

 

Gostou das dicas de hoje? Inscreva-se em nossa newsletter e fique por dentro das novidades!

 

Leia também:

Como funciona a jornada de trabalho do farmacêutico

Interações farmacológicas: o que são, efeitos, tipos e como evitar

Conheça os procedimentos estéticos realizados por farmacêuticos

 

Importante: O objetivo deste blog é trazer informações atualizadas sobre o setor médico/farmacêutico. O conteúdo não expressa a opinião da empresa/Laboratório Teuto | Pfizer.