Blog

Aprenda como identificar medicamentos falsificados

Uma pesquisa da OMS (Organização Mundial da Saúde) revelou que, aproximadamente, 10% dos medicamentos vendidos em países subdesenvolvidos são medicamentos falsificados. A falsificação de farmacológicos é responsável por muitos prejuízos financeiros às indústrias e ainda mais perdas à saúde mundial.

Casos de morte por pneumonia, por exemplo, já foram ligados a essa prática pela Universidade de Edimburgo, no Reino Unido. O caso é realmente preocupante é merece a atenção de todos, médicos, farmacêuticos e a comunidade em geral.

Veja neste post como identificar medicamentos falsificados e originais, evitando comercializar produtos errados em sua farmácia ou até consumi-los em seu dia a dia. Confira!

Número de registro

A primeira informação a ser verificada na embalagem do medicamento é o seu registro junto ao Ministério da Saúde. Essa informação geralmente fica na parte lateral da embalagem.

A numeração começa com a sigla MS e tem 13 dígitos numéricos. A informação pode ser consultada no site da Anvisa, neste link. Ao consultar essa informação é possível comparar os dados do medicamento e verificar se ele realmente é legítimo.

Nome do farmacêutico

Na mesma região que o número de registro deve ser informado, ainda, o nome do farmacêutico responsável pela fórmula. Também deve ser registrado na embalagem o número de registro do profissional junto ao CRF (Conselho Regional de Farmácia).

O estado de registro do farmacêutico deve ser igual ao estado de endereço da fabricante do medicamento para ter validade. Essa informação também precisa ser idêntica aos dados observados no site da Anvisa.

Princípio ativo

A embalagem também apresenta os princípios ativos da fórmula, ou seja, as substâncias responsáveis pelo tratamento farmacológico e a quantidade. Essa informação faz parte da apresentação comercial do medicamento e deve constar na embalagem do produto.

 

 

Assim como os demais dados, os princípios ativos também podem ser conferidos na consulta do medicamento no site da Anvisa.

Vale salientar, no entanto, que qualquer alteração do princípio ativo pode causar a ineficácia do produto, ou até mesmo apresentar efeitos colaterais em seu uso. Daí a importância de ficar de olho em medicamentos falsificados.

Nome do medicamento

O nome dado pela empresa ao medicamento, que pode ser comercial ou científico. Algumas empresas criam um nome comercial para deixá-lo mais simples de falar e fácil de lembrar para os consumidores.

Outros apresentam o nome do princípio ativo, ou qualquer outra nomenclatura científica, nessa parte da embalagem. O fato é que não pode deixar de existir essa informação e ela precisar se idêntica ao nome do produto na Anvisa.

Agora ficou mais fácil confirmar a identidade dos medicamentos e evitar medicamentos falsificados, não é mesmo? Compartilhe este post nas redes sociais e ajude outras pessoas a não caírem nessa armadilha mortal