Blog

Os perigos ocultos da venda irregular de medicamentos e como combatê-los

A venda irregular de medicamentos contrabandeados ou falsificados é um problema sério que envolve a saúde pública. Sem seguir os padrões de segurança e todas as etapas que visam garantir a efetividade do princípio ativo e a eficácia do uso, esses medicamentos podem colocar em risco a vida de qualquer pessoa que procura uma farmácia.

Esse é um problema presente em boa parte dos países do mundo e, de acordo com a OMS, a estimativa é de que nos países em desenvolvimento cerca de 10% dos medicamentos consumidos sejam falsos.

Quer saber mais sobre esse assunto tão importante? Então continue a leitura.

Principais riscos da venda irregular de medicamentos

Os problemas que o consumo de medicamentos irregulares pode causar nas pessoas são diversos e, devido a essa amplitude, todo cuidado é pouco. Acompanhe alguns dos riscos e pontos considerados críticos sobre esse tema:

Envenenamento

O risco de envenenamento por medicamentos não é algo próprio de compostos específicos ou regiões remotas do mundo. Qualquer tipo de composto voltado para saúde que não tenha garantia de eficácia e qualidade ratificadas pelas autoridades competentes, pode colocar em risco a vida de quem os consome.

Progressão de doenças

Caso a pessoa tenha alguma condição clínica já instalada, o uso de medicamentos sem os princípios ativos que ela necessita contribuirá para o avanço progressivo e mais rápido da doença.

Início de quadros clínicos

Da mesma maneira que remédios irregulares podem provocar a piora de uma situação, eles também podem dar início a uma doença que, até então, a pessoa não tinha.

Efeitos diversos

A falta de equilíbrio dos compostos usados em medicamentos falsos pode provocar na pessoa episódios de diarreia, depressão, tontura, taquicardia, prisão de ventre, alergias diversas, enjoo e perda das capacidades cognitivas, apenas para citar alguns.

Quando falamos sobre os riscos do consumo de remédios irregulares, ainda existe um ponto muito sensível: as doenças graves. Boa parte das pessoas que consome medicamentos inadequados sofre com algo complexo como distúrbios crônicos, câncer e AIDS.

Geralmente, quanto mais grave a doença, mais caro o remédio e, por isso, os falsificadores investem muito nesse segmento.

E essa mesma consideração deve ser levada em conta com medicamentos que não foram aprovados pela Anvisa. Aqui, a falta do efeito terapêutico que seria provocado pelo medicamento correto, além dos efeitos adversos, pode levar uma pessoa a ter um agravamento de sua situação clínica.

Ação criminosa

A venda de medicamentos irregulares, sejam eles quais forem, está em desacordo com a legislação e, por isso, configura uma prática criminosa. A adulteração ou falsificação de medicamentos pode ser punida com base no artigo 272 do Código Penal. Além das multas, as punições podem ultrapassar facilmente dez anos de prisão.

Cuidados

Muitas pessoas são consumidoras de um ou outro medicamento e, sendo assim, vale a pena estar atento a algumas dicas práticas para evitar problemas com remédios falsificados.

Escolher farmácias sérias, com registros e alvarás, já é um bom começo. Além disso, é muito importante conferir se existe um farmacêutico responsável – profissional obrigatório durante o horário de funcionamento.

No mais, os proprietários de farmácias, balconistas e auxiliares precisam ter muito cuidado com medicamentos irregulares. A venda é categorizada como crime, especialmente no caso de falsificação. É uma questão de respeito à vida, acima de qualquer coisa!

Qual sua opinião sobre a venda irregular de medicamentos? Compartilhe conosco em nossos comentários!