Medicamentos Genéricos

Redução dos gastos com a saúde

A análise da situação econômico-social brasileira mostra que a maioria da população não tem acesso aos medicamentos essenciais, nem mesmo os de uso contínuo.

Apesar do Ministério da Saúde priorizar suas ações em atendimento à atenção básica de saúde, disponibilizando medicamentos e/ou recursos financeiros, elas não são suficientes para atender a demanda cada vez maior da população.

É inquestionável a importância dos medicamentos genéricos para a saúde brasileira, pois eles representam a alternativa concreta e indispensável frente à situação econômico-social do país.

Priorizar a utilização dos medicamentos genéricos, especialmente nas compras efetuadas para o SUS, é a melhor forma de otimizar recursos, aumentar a cobertura assistencial e ampliar o acesso.

Fatores que estão impulsionando o crescimento mundial do mercado de medicamentos Genéricos

  • 35 bilhões de dólares em patentes de medicamentos SE expiram nos próximos anos.
  • Crescimento dos custos de saúde.
  • Envelhecimento da população com o aumento das doenças crônico-degenerativas, o que ocasiona elevados gastos públicos com o setor saúde.
  • Utilização e disseminação de novas tecnologias e procedimentos médicos.
  • Aumento da expectiva de vida.
  • Os medicamentos constituem um dos itens de maior gasto na renda familiar e gasto público, e um dos mais importantes instrumentos no suporte às ações de saúde, sem os quais os sistemas de saúde tornar-se-iam inviáveis.

O crescimento dos gastos em saúde, tanto no setor público quanto no privado, tem levado os governos a buscar estratégias e alternativas para racionalização desses gastos e redução do consumo de medicamentos.

O aumento da expectativa de vida e o consequente envelhecimento da população, que acarreta maior custo social; mudanças demográficas e epidemiológicas; novos procedimentos terapêuticos com a utilização de medicamentos de alto custo: novas tecnologias, incluindo equipamentos, técnicas e procedimentos utilizados nos serviços médicos: demanda induzida por prestadores de serviços médico-assistenciais, entre outros fatores, têm contribuído para o aumento dos gastos em saúde, dificultando o financiamento adequado da assistência médico-farmacêutica.

Aliado a esses fatores, a área da saúde sofre o impacto das mudanças macroeconômicas, com repercussão sobre o financiamento das ações de saúde e os medicamentos, afetando diretamente o acesso a qualidade e o uso racional.

Os medicamentos genéricos se tornaram uma alternativa na diminuição dos custos com saúde, visto que são, em média, 40% mais baratos que os medicamentos de referência, porque as indústrias não investem em pesquisa, desenvolvimento e propaganda, uma vez que utilizam o nome da substância ativa.

Ainda, com a entrada dos genéricos no mercado, começou a haver a concorrência natural entre produtos, forçando a baixa de preços para aqueles que querem manter a sua fatia de mercado. Isso é muito bom para a população como um todo, que passa a ter acesso a medicamentos de qualidade, não só aos genéricos, mas também aos referências, que disputam entre si pela conquista do consumidor.

Fonte: www.anvisa.gov.br

Compartilhe